fbpx

Conselhos para não se deixar dominar pelo medo durante a pandemia do coronavírus

Com o objetivo de ajudar as pessoas a libertar a mente e o espírito de tudo aquilo que lhes tire a paz, um sacerdote dos EUA propôs 10 ações concretas.

Gaudium Press | Quinta, 23 Abril 2020 09:52
Conselhos para não se deixar dominar pelo medo durante a pandemia do coronavírus

Diante da superabundância de informação sobre a pandemia de coronavírus, as inevitáveis alterações à vida cotidiana impostas pelas medidas de prevenção do contágio e as próprias preocupações da vida de cada pessoa, é saudável buscar alternativas que libertem a mente e o espírito de tudo aquilo que tire a paz própria dos que confiam em Deus. Apesar disto ser um ideal bastante atrativo, na prática pode ser difícil de conquistar. Por este motivo o sacerdote norte-americano Padre Dwight Longenecker propôs 10 ações concretas para deixar de se preocupar excessivamente nesta particular época.

Deixe de acompanhar as más notícias

O primeiro conselho do sacerdote é “deixe de acompanhar as más notícias”. Pode parecer óbvio, mas é um desafio interessante. “É difícil não parar e olhar, mas por amor de Deus, não revise os canais de notícias a cada cinco minutos”. Ainda que haja motivos para inquietar-se, existe pouco a se fazer para resolver os problemas globais. Então é mais saudável consultar as notícias umas duas vezes por dia e equilibrar as más notícias com as boas notícias. “As coisas estão más, mas muitas pessoas estão trabalhando juntas para tratar os enfermos e encontrar novas formas de combater a enfermidade. Não digo que ponha a cabeça na areia e adote algum tipo de otimismo artificial. Seja realista, mas não permita se anestesiar por uma má notícia”.

Ore as notícias

O segundo conselho pode ajudar na primeira situação: “Ore as notícias”. “Depois de receber sua atualização de notícias, leve-as ao Senhor em oração. Acompanhe as notícias da manhã e depois faça suas orações matutinas. Atualize as notícias da tarde e depois faça suas orações da tarde”, recomendou o Padre Longenecker. “A oração desata o poder de Deus no mundo. Suas orações ajudarão a fortalecer e proteger os que trabalham para combater a enfermidade. Suas orações fortalecerão e ajudarão os que padecem a enfermidade. Suas orações ajudarão os angustiados, ansiosos e deprimidos. Tuas orações também te ajudarão a permanecer tranquilo, concentrado e confiando em Deus”.

Leia os Salmos

Se se encontra no isolamento para evitar o contágio, pode retomar alguma atividade de interesse como estudar, ler, pintar, cozinhar ou fazer exercícios. Este terceiro conselho ajuda a esquecer as preocupações. O quarto conselho é novamente espiritual: “Leia os salmos: os salmos são poemas antigos muitas vezes escritos por pessoas com problemas. O Salmo 27, 62 e 91 são todos bons em tempos de ansiedade”, recordou o sacerdote. “Os salmos enfatizam a necessidade de colocar nossa confiança em Deus”.

Viva um dia de cada vez

“Viva um dia de cada vez”, indicou o Padre Longenecker como quinto conselho, fundamentando-se na doutrina de Cristo de não angustiar-se pelo futuro. “Se está bem hoje e tem o que necessita hoje, agradeça a Deus”, indicou o sacerdote. “Se amanhã a enfermidade afetar a ti e aos teus entes queridos, Deus estará ali para te guiar através dela”. O presbítero também sugeriu (6º) manter a comunicação com amigos, familiares e membros da Igreja, o que pode oferecer consolo mútuo, e memorizar frases da Bíblia ou com sentido espiritual (7) para recordar de colocar o tempo presente nas mãos de Deus e deixar a Ele as preocupações.

Compartilhe suas preocupações

Seu oitavo conselho é recordar que a humanidade viveu estas situações antes. “Temos trabalhado juntos para superar pragas, guerras, fome e todo tipo de desastres terríveis”, recordou o presbítero. “Sairemos do outro lado”. Também sugeriu falar abertamente e escutar aos demais (9). “A preocupação é pior quando corrói como um medo interno. Remova-o e fale sobre isso”, aconselhou. “Uma preocupação compartilhada é uma preocupação reduzida pela metade”.

Realize um Ato de Fé

Finalmente, o Padre Longenecker recomendou realizar um Ato de Fé. “O ato de Fé é uma oração mediante a qual colocamos nossa confiança e Fé somente em Deus”, explicou. “Um ato de Fé simples é dizer: ‘Senhor Jesus Cristo, Filho do Deus vivo, em tuas mãos encomendo meu espírito’”. Esta forma de oração, assegurou, tem uma grande eficácia em liberar o peso. “Quando verdadeiramente, completa e simplesmente nos colocamos nas mãos de Deus, é surpreendente como a preocupação simplesmente evapora”.

“Que o Senhor use este tempo para fortalecer a Fé, a esperança e o amor em nossos corações. Que tomemos um tempo para voltar a avaliar nossas prioridades e nos dar conta de que a vida é curta e incerta”, expressou o sacerdote como conclusão. “Este não é um ensaio geral. Dê graças a Deus pelo bem que temos e desfrute dessas bênçãos. Use o tempo sabiamente e de coração peça o dom de amar a Deus e aos demais como deveríamos, antes de que seja demasiadamente tarde”.