fbpx

França perde um edifício religioso a cada duas semanas

Em média, mais de dois monumentos cristãos são visados diariamente, sendo que dois terços desses incidentes envolvem roubo, enquanto o restante envolve profanação.

Gaudium Press | Segunda, 17 Maio 2021 11:17
França perde um edifício religioso a cada duas semanas Gaudium Press

O presidente do Observatório do Patrimônio Religioso de Paris, Edouard de Lamaze, fez um alerta à mídia francesa sobre o desaparecimento gradual de edifícios religiosos no país.

Segundo Lamaze o inesquecível incêndio que consumiu parte do teto da Catedral de Notre-Dame no ano de 2019, aponta para graves deficiências no sistema de preservação de monumentos religiosos franceses, juntamente com a hostilidade crescente contra a religião.

Em média, mais de dois monumentos cristãos são visados diariamente, sendo que dois terços desses incidentes envolvem roubo, enquanto o restante envolve profanação.

Um edifício religioso desaparece a cada duas semanas

Ele afirma ainda que um edifício religioso desaparece a cada duas semanas, por demolição, transformação, destruição por incêndio ou desabamento, e que dois terços dos incêndios em edifícios religiosos são criminosos. A maior parte destes edifícios são católicos.

“Embora os monumentos católicos ainda estejam à frente, uma mesquita é erguida a cada 15 dias na França, enquanto um prédio cristão é destruído no mesmo ritmo. Isso cria um ponto de inflexão no território que deve ser levado em consideração”, advertiu.

Ataques a locais de culto católicos aumentaram cinco vezes em dez anos

Os dados mais recentes da unidade central de inteligência criminal da França, aponta que, apenas no ano de 2018, foram registrados 877 ataques a locais de culto católicos em todo o país. “Esses números aumentaram cinco vezes em apenas dez anos”, assegurou Lamaze, recordando que no ano de 2008 apenas 129 igrejas foram vandalizadas em toda a França.

“No início dos anos 1970, o escritor e jornalista Michel de Saint Pierre publicou um livro intitulado ‘ Igrejas em ruína, Igreja ameaçada de extinção’, no qual já havia soado o alarme. Mas a situação aumentou dez vezes, ou até cem vezes, desde então”, reforçou.

Cinco mil edifícios católicos correm o risco de desaparecer nos próximos anos

Lamaze faz ainda outro alerta: cinco mil edifícios católicos correm o risco de desaparecer nos próximos anos. A causa desse desaparecimento, porém, vai além da crescente hostilidade a qual estão sujeitos. Estes locais religiosos também sofrem de profunda negligência por parte das autoridades públicas.

Por conta da lei de 1905, que trata sobre a separação das igrejas e do Estado, os municípios se tornaram proprietários dos edifícios religiosos da França. “Esses edifícios nunca foram submetidos a trabalhos de restauração ou medidas de proteção contra roubo ou incêndio”, lamentou Lamaze.