fbpx

13º Encontro Nacional da Pastoral da Juventude já possui tema, lema e iluminação bíblica

CNBB | Sexta, 24 Abril 2020 10:14
13º Encontro Nacional da Pastoral da Juventude já possui tema, lema e iluminação bíblica

Reunida virtualmente entre os dias 17 e 20 de abril, a Coordenação Nacional (CN) e a Comissão Nacional de Assessores (CNA) da Pastoral da Juventude definiram as dimensões que vão iluminar o 13º Encontro Nacional (ENPJ), programado para janeiro de 2021 em São Luís, capital do Maranhão. A cultura do estado que sediará a atividade, o Jubileu de 50 anos da PJ e a páscoa do padre Hilário Dick fizeram parte do processo, que também contou com a presença da irmã Valéria Leal, membra da Comissão Episcopal Pastoral para a Juventude (CEPJ).

No 12º ENPJ, realizado em Rio Branco, Acre, os pejoteiros retornaram à ancestralidade indígena com o uso da palavra huni kuin “Txai”, agora a PJ do Brasil se volta para a sua base e bebe da mística dos grupos de jovens – palavra-chave do Jubileu em 2021 – e da cultura folclórica maranhense para definirem o tema do encontro: Na toada do grupo de jovens, o guarnicê da esperança

“Nesse ENPJ, em que a gente celebra 50 anos de história e nos preparamos para mais 50, queremos colocar o grupo de jovens no centro da nossa esperança. O ‘guarnicê’, aqui no Maranhão, faz referência a um momento de preparação, de esquentar o coração, e nessa toada anunciar o início de um novo caminho para daí brotar a vida. Guarnicê é um convite para tornar o momento eterno. É um convite para estar presente e para todos se sentirem literalmente em casa”, destaca Cadu Santos, coordenador nacional pelo Regional Nordeste 5.

Já o lema do 13º ENPJ é uma referência ao padre jesuíta Hilário Dick, ex-assessor nacional da PJ que fez a sua páscoa no último mês: “Gritar a utopia do Reino em toda parte”; e a iluminação bíblica teve base no Evangelho de João: “Senhor, dá nos sempre deste pão” (Jo 6, 34), um pedido da multidão a Jesus em Cafarnaum, cidade teológica no processo do Jubileu. Para Michelle Gonçalves, secretária nacional da PJ, o momento servirá para vivenciar a esperança e o amor nas bases.

“Que seja um tempo de preparação, de celebração e alegria nos grupos de jovens, nosso amor primeiro, nosso chão sagrado”,  Michelle Gonçalves, Secretária Nacional da PJ.

Hilário Dick

O eterno neotéfilo (amante da juventude) escreveu em 2006 um texto chamado “Tristezas e Alegrias nascendo da Juventude”, base para a escolha do lema e onde falava sobre a alegria de ver os bispos reconhecerem as Atividades Permanentes como instrumentos das PJs, como lembra o assessor nacional Luís Duarte. “Hilário sempre provocava a todas e todos nós para uma doação radical a serviço da juventude. Ou seja, sempre nos convocava para gritar a utopia do Reino em toda parte”.

Agora a Coordenação Nacional da Pastoral da Juventude, Comissão Nacional de Assessores e as equipes locais da Arquidiocese de São Luís e do Regional Nordeste 5 continuarão o processo de construção metodológica do ENPJ. Os materiais e elementos subsidiarão os/as jovens pelo Brasil para estarem em sintonia com a atividade que reúne pejoteiros/as de todos os estados.

Com informações de Thiesco Crisóstomo da PJ Nacional